MELHORES TEXTOS

Evolução de pensamentos

Eliel Gomes Fontenele – 2º C

No período escravocrata, cria-se a ideia de que negros não eram humanos. Segundo os seus senhores, eles não possuíam alma assim como bois, cavalos e cães. Logo, da mesma maneira que se ordenhava uma vaca ou se utilizasse de uma mula para transportar mercadorias, homens e mulheres negros eram usados. Aos poucos o mundo foi abolindo essa prática, mas resquícios desse pensamento permanecem até hoje.

Pretos e brancos ainda são tratados como duas espécies distintas em algumas regiões. Nos Estados Unidos, por exemplo, essa característica ainda é muito visível. Pessoas de cores diferentes ainda são divididas por bairros ou Igrejas. Não por lei, mas em detrimento dos costumes adquiridos.

A cultura brasileira apesar de miscigenada, ainda apresenta traços estereotipados. O cabelo crespo é denominado ruim, enquanto o liso é considerado bom. A prova desse princípio é a grande quantidade de mulheres que buscam alisar seus cabelos encaracolados.

Tal falha na cultura deve ser erradicada, mostrando que é o racismo o verdadeiro comportamento animalesco do homem. Essa falsa evolução deve ser combatida, conscientizando as gerações atuais e futuras de que o negro é e sempre foi tão capaz quanto as outras etnias.

Antes dos Cabelos Brancos 

Maria Clara Moraes – 9º Ano B

Não há nada melhor do que a juventude. Pelo menos é o que meus pais estão sempre dizendo. Na verdade, os mais velhos estão sempre dizendo isso.  Sempre falam do quanto sentem faltam dos tempos em que ainda não tinham cabelos brancos.

Geralmente, nós, os mais jovens, dizemos que essa fase da vida é a pior de todas. A descrição clássica é “os piores anos da minha vida”. Sempre reclamamos, principalmente, da escola. Falamos sobre o quanto estudar é muito chato, sobre como os pais estão sempre nos atormentando e muitas vezes eu concordo com tudo isso.  Mas se você parar para pensar, nem é tão ruim assim.

Vejamos, na escola é onde conhecemos vários dos amigos que levamos para o resto da vida, é nessa idade que formamos o nosso caráter, mesmo que muitas vezes não seja dos melhores, e não temos nada com o que nos preocupar além dos estudos.

Mas ai é que está o problema. Essa é a análise dos adultos. Nós que estamos vivendo o momento é que sabemos a frustração que é aquele professor que não foi com a tua cara e cismou que você estava conversando. Daí vem aquele garoto insuportável que senta do seu lado zoar com a sua cara. E depois vem aquela bomba na prova e você já consegue ouvir seus pais resmungando.

Porém, no meio de tudo isso tem aquele professor hilário que você adora, tem o mesmo garoto insuportável que na verdade nutre uma queda por você e tem aquele dez em matemática que você tira uma vez na vida, mas que te deixa radiante, mesmo com os seus pais dizendo que não é mais do que sua obrigação tirar nota boa.

Tudo bem. Talvez nós estejamos reclamando de barriga cheia. Mas é da nossa natureza, afinal somos “aborrecentes”, não é mesmo? De qualquer forma, uma coisa nós, aborrecentes, concordamos com os mais velhos, mesmo sem admitir: realmente não há nada melhor do que a juventude.

Deficiência educacional

Posted by on 22 22UTC novembro 22UTC 2013 in MELHORES TEXTOS | 0 comments

Fábio Thiago Silva de Araújo – 3º Ano (tarde)          O índice de qualidade educacional está entre os principais quesitos que  caracterizam um País desenvolvido. Consiste em várias pesquisas relacionadas à estrutura, escolaridade dos adultos e quantidade de anos de estudo esperado para as crianças. São fatores que o Brasil ainda demonstra deficiência, contribuindo para classificá-lo entre os países subdesenvolvido no que se refere ao desenvolvimento social.          Os últimos dados divulgados pela Organização...

leia mais